Publicado em

Transtorno de Pânico na gestação- sintomas e tratamento

transtorno de pânico na gestação

O transtorno de pânico na gestação é caracterizado por ataques recorrentes de ansiedade intensa (pânico) em circunstâncias imprevisíveis. Por Beatriz Regina Neves, psicóloga e psicanalista.

Transtorno de pânico na gestação: sintomas

A pessoa tem a sensação de morte iminente, da perda do controle de si própria ou de ficar “louca”. Essa ansiedade é acompanhada de sintomas somáticos: falta de ar, palpitação, tontura, vertigem, sensação de desmaio, náusea e outros. Para a psicanálise winnicottiana, esse transtorno remete a falhas iniciais vividas no período de dependência absoluta do bebê em relação à mãe e ao ambiente, as quais podem ser revividas na gestação, períodos de grande vulnerabilidade.

Segundo Rosthein (2013), a mulher habitada por um bebê- que ora é o seu bebê ideal, ora um ser estranho- oscila entre um “estado de graça” e outros de medos e angústias. A nova mãe resgata as angústias pertencentes ao modo como foi cuidada e, identificada com a mãe, as atualiza. A história familiar pode repercutir tanto positiva quanto negativamente na maternidade. Caso influencie negativamente, poderá apresentar sintomas de Transtorno de Pânico. E se essas falhas, reativas na gravidez, não forem entendidas e tratadas em tempo, poderão tornar-se situação de risco a futura mãe, ao feto, ou ao futuro bebê.

Tratamento do transtorno de pânico

A intervenção precoce oferece um “berço-poltrona” para a gestante recontar sua história e dar sentido aos seus sintomas. A auxilia a sair do estado de regressão “patológica”, rumando em direção a uma regressão “saudável”. É através de um ambiente suficientemente bom que poderá experimentar ser sustentada ao invés de, como observou Winnicott, cair, cair, cair, para sempre- a pior angústia que pode existir. Sendo sustentada, poderá regredir e se identificar com seu bebê, propiciando uma maternagem suficientemente boa.

Fonte: texto integralmente transcrito  do Jornal Unimed Encosta da Serra n° 66 de Abril de 2016.

Quer ler mais? Então clique aqui e leia sobre a alimentação da gestante.

Gostou do conteúdo? Então fique a vontade para curtir e comentar logo abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *